Quem tem um automóvel sabe bem que existe diversas formas que danifica a pintura do carro como deixá-lo exposto no tempo pode ser muito prejudicial. Tudo isso porque alguns agentes externos – como o sol, frutos de árvores e até dejetos de animais – acabam caindo sobre a carroceria e trazem danos para o seu veículo, muitas vezes até deixando manchas irreversíveis.

Mas, afinal, quais os malefícios dessas adversidades? Entenda agora o que pode ocorrer em cada situação, saiba como proteger o seu automóvel e, acima de tudo, descubra como uma boa limpeza pode fazer toda a diferença nesses casos:

O sol e o calor

O sol é responsável por estragar os bancos, carpetes, puxadores, para-choques, o painel, as partes feitas de plástico e, principalmente, a pintura do carro. Isso ocorre porque o calor incidido pelo astro é responsável por aumentar a temperatura interna do veículo e também por causar danos na parte externa, o que faz com que nenhum espaço esteja livre das ações desse agente.

Para os itens feitos de plástico, por exemplo, é muito comum que ressequem e fiquem opacos. Em alguns casos, inclusive, podem chegar até mesmo a trincar, precisando que seja feita a substituição o mais rápido possível.

Já a lataria e a tintura sofrem outros danos que ficam ainda mais visíveis e causam um péssimo aspecto para a aparência do veículo, em especial aqueles que têm cores escuras, como o preto, o azul, o verde e até mesmo o vermelho. Por não serem claros, eles conseguem reter ainda mais o calor e os raios ultravioleta, queimando com mais facilidade e gerando manchas esbranquiçadas na lataria, além de queimaduras na pintura original, deixando-a também sem brilho.

Dejetos de pássaros

Para processar os alimentos ingeridos, o estômago dos pássaros demanda de muito ácido e é aí que está o problema, este danifica a pintura do carro de forma rápida. Seus dejetos acabam contendo toda essa acidez e, quando repousados sobre o veículo, podem ser muito prejudiciais para a pintura.

Isso acontece porque o ácido faz com que as fezes grudem na pintura e rompam a película de verniz que normalmente protege a tinta. Assim, penetrando essa camada, além de causar danos à tintura, é comum que esse dejeto chegue até a camada abaixo, a chapa, e assim fique “descascado” na região.

Dessa maneira, o ideal seria fazer a limpeza imediatamente. Contudo, sabe-se que é praticamente impossível controlar esses agentes externos e que, muitas vezes, o passarinho pode vir de onde menos se imagina e em um horário no qual o dono do carro pode nem estar por perto. Portanto, fique atento para reparar os danos o mais depressa que puder.

Frutos de árvores

Sabe aquela Lei de Newton em que uma maçã despenca e ele vai todo feliz observar o que pode ter causado esse fenômeno? Se ele estivesse com um carro ali embaixo, a situação seria bem diferente.

Brincadeiras à parte, quem está com o veículo parado na rua ou até em um estacionamento ao ar livre pode estar sujeito às quedas inesperadas de frutos de árvores, especialmente quando a vaga é sob um dessas plantas. O pior é que essas frutas, algumas vezes pequenas e outras maiores, podem sujar o espaço e não só isso. É possível também que a lataria fique amassada e que os danos materiais sejam enormes, este é outro que na maioria das vezes danifica a pintura do carro.

Em algumas situações, é possível até mesmo que o líquido proveniente da fruta manche a tintura, como acontece com as amoras e outras mais. Sendo assim, os gastos não são apenas referentes aos amassados, mas também a outros fatores que pesam no orçamento do proprietário.

Pensando nisso, inclusive, a Justiça Brasileira já se questionou a respeito de quem seria a responsabilidade civil para esses casos em que o fruto cai no veículo estacionado, tamanha a frequência com que essa situação ocorre.

Quando a árvore está localizada em um estacionamento ou até mesmo no condomínio ou casa de alguém, o responsável é ninguém mais e ninguém menos do que o dono da mesma. Isso porque a Lei entende que a tarefa de podar a árvore é de seu proprietário e que sua omissão, assim como os danos decorrentes dessa ausência, é consciente. Por isso, a reparação do veículo caberá a esse indivíduo.

Já quando se trata de uma via pública, consta apenas como um fenômeno da natureza e dificilmente alguém será responsabilizado por essa questão.

Como evitar os estragos?

Para se precaver contra os dejetos de animais, a ação das frutas e ainda o calor proveniente do sol, é fundamental ter cautela a respeito de onde o carro costuma ficar e quais locais estão disponíveis para o estacionamento.

O ideal é priorizar as vagas que são fechadas e que protegem o veículo do clima, da chuva e de outros agravantes que apenas o mundo externo pode trazer. Ainda assim, sabe-se que nem sempre dá para escolher onde o carro ficará e que, muitas vezes, não há mais opções, portanto basta ter cuidado e investir em um bom serviço de limpeza para garantir que, mesmo com esses agentes, os estragos serão amenizados.

Em alguns momentos é melhor parar em uma vaga afastada e sem sombras de árvores do que ter um dano que pode custar R$450 ou mais.

Então lembre-se, sempre que identificar algum dejeto, manchas ou objeto estranho na pintura do carro, procure uma lavagem automotiva para que não haja risco de danificar a estética do seu veículo. Leia agora sobre as 10 dicas para proteger a pintura do seu carro na hora da lavagem

Escreva um comentário