Todo apaixonado por carros faz de tudo para cuidar do seu veículo. Não somente as manutenções básicas e essenciais para manter o bom funcionamento, mas também as manutenções que demonstram um carinho a mais com o carro. Um ótimo exemplo é o ato de polir e encerar. É um cuidado quase íntimo e ajuda a estabelecer uma conexão mais forte com o automóvel. Mas, você sabe qual é a diferença entre polir e encerar?

Não? Então confira a resposta neste artigo!

Porque polir ou encerar?

Todo veículo vem com a pintura de fábrica. Além disso, existe uma camada de verniz para dar o brilho e para proteger a pintura de ações da chuva, da poluição e toda a limpeza que não é feita da maneira ideal. Com isso, o brilho naturalmente vai ofuscando. Neste caso, existem três opções: pintar novamente, encerar ou polir.

É aí então que surge a dúvida, polir ou encerar, qual é a diferença entre eles? É comum haver certa confusão em relação a esses termos, e muita gente acredita que se trata da mesma técnica, mas esse não é o caso. Esse, na verdade, é um bom teste para avaliar um profissional. Se ele acha que ambos significam a mesma coisa, é bom procurar outro lugar para fazer qualquer serviço.

Na verdade, ambos têm o mesmo objetivo final, mas são métodos completamente diferentes. No final das contas, as duas técnicas irão tornar o brilho do carro mais nítido e belo, mas o caminho é diferente. Confira e tire de vez as suas dúvidas.

O que é polir o carro?

Ao polir um veículo, você está, na verdade retirando uma camada bem fina do verniz, de modo a retirar qualquer irregularidade. É o processo mais simples e direto de recuperar o brilho do veículo, já que ao retirar a camada superior, tornando-a mais uniforme, é mais fácil conseguir ter o brilho mais semelhante ao ideal.

O objetivo ao polir é melhorar o brilho do carro, restaurando a pintura, através do uso de abrasivos, que irão trabalhar para nivelar a superfície do veículo.

O problema ao polir, já que está sendo retirada uma camada do verniz, é que ao longo de algum tempo, a camada restante pode ser tão fina que não irá ser o suficiente para proteger o carro da corrosão. Pode até mesmo ocorrer uma perda de tinta, fazendo com que o carro fique com uma cor ligeiramente diferente da original.

Por isso, ao fazer esse processo, o ideal é procurar um profissional, a menos que você tenha bastante experiência. Isso porque, como dito acima, pode ser removida uma camada de verniz maior do que a necessária que, além de expor o veículo, deixando marcas ainda maiores.

Como curiosidade, um veículo novo pode ser polido até 4 vezes. Claro, se feita de uma forma correta e por profissionais ao longo do seu uso antes de fazer uma nova pintura.

O que é encerar o carro?

Ao encerar o carro, você está cumprindo o mesmo objetivo, porém, seguindo o caminho contrário. Essa técnica consiste em preencher as irregularidades com a cera que é passada na carroceria. É um processo que não é abrasivo e que, na verdade, protege a lataria de dano, por conta de uma mini película que age como mais uma camada extra. Por outro lado, ela não tem o mesmo potencial de revitalização da lataria que o polimento apresenta.

Ao cobrir as irregularidades com a cera, a lataria fica lisa, retornando ao carro o brilho. Existem até mesmo ceras que funcionam como polidores bem leves, para ajudar a remover o excesso de tinta oxigenada e de sujeira.

Contudo, certas ceras até contém um poder abrasivo, que são capazes de eliminar pequenas sujeiras e imperfeições, mas nada tão incisivo como com o polimento. Ao encerar um veículo, existe um aspecto fundamental que deve ser considerado. A própria cera. Existem diferentes tipos de produtos, com diferentes objetivos e propriedades.

Certas ceras não possuem propriedades de preenchimento ou polidoras, o que indica que elas não são capazes de revitalizar o brilho por si só. Seu objetivo é trazer mais proteção e realçar o brilho.

Existem também as ceras artificiais, que são totalmente produzidas pelo homem e que tem o objetivo de proteger a pintura após o polimento. Sua natureza artificial faz com que ela tenha a tendência de durar mais do que a natural.

Para poupar o tempo, existem os produtos “all in one” ou “todos em um” que são perfeitos para fazer as manutenções de rotina no carro. Como o nome indica, esses produtos normalmente têm um pouco de tudo.

Eles são compostos por abrasivos bem leves, que ajudam a remover os defeitos da pintura, além de enchimentos leves que irão ajudar a preencher quaisquer imperfeições que podem existir e que não serão facilmente removidos pelas ceras não abrasivas.

Quando usar cada técnica?

Apesar de terem o mesmo objetivo, as técnicas têm caminhos opostos. É recomendado polir o veículo quando este apresenta a lataria mais fosca, com riscos e quando o brilho for perdido.

Por outro lado, é recomendado encerar se a pintura estiver um pouco desgastada ou com um aspecto mais áspero, que dificulte a remoção da sujeira. Além disso, é indicado encerar o carro com certa frequência.

Para veículos que ficam expostos ao sol, à chuva e a outros efeitos naturais, o ideal é encerar pelo menos duas vezes ao mês. Por outro lado, se o carro fica protegido na maior parte do tempo, uma vez por mês é o suficiente. Não existe um limite de vezes em que um veículo possa ser encerado, visto que a maioria das ceras não contém substâncias abrasivas que possam danificar as camadas de proteção.

Mas, o que existe é uma opção para o que o seu carro preciso. Entre a diferença entre polir e encerar, e todos os produtos que podem ser usados para fazer cada um desses serviços, é fácil encontrar o que o seu carro precisa para estar ainda mais perto do ideal.

Antes de executar um polimento teste a aplicação continua por 4 lavagens da cera Brilho VIP e do espelhamento Reflect Car. Se o resultado não te agradar teste o polimento profissional.

Quer ter seu carro limpo e encerado todos os dias do ano por um preço único mensal? Conheça o clube Comb-Out!

Escreva um comentário