Ter um carro é o sonho de boa parte dos brasileiros, que batalham muito para chegar a esta meta ao longo da vida. Mas comprar o automóvel não é o final do trabalho. A manutenção é fundamental para que a vida útil da máquina seja maior, atendendo às expectativas do dono.

Cinto de segurança também precisa de manutenção

E quando falamos em manutenção dos carros, logo pensamos na checagem dos pneus, motor e outras engenharias. Muitas vezes, uma ferramenta essencial fica esquecida: cintos de segurança.

Por isso, neste texto, falaremos sobre os motivos que fazem com que o cuidado com este dispositivo sejam fundamentais para o conforto do motorista e de quem utiliza o veículo.

Sinais de que o cinto de segurança precisa de manutenção

Como qualquer outra parte do carro, o cinto de segurança também se desgasta com o passar do tempo. Inclusive, é um mecanismo que utilizamos tanto quanto outros, afivelando, desafivelando, ajustando altura, entre várias ações.

Tudo isso faz com que a ferramenta seja exigida e, consequentemente, sofra ao longo dos meses e anos.

Com isso, alguns sinais precisam ser percebidos. Por exemplo, se começar a haver dificuldades para afivelar o cinto, é importante checar para não acontecer a quebra, que impeça a colocação completa do dispositivo.

Lembrando sempre que, para além das questões de segurança, o uso do cinto é obrigatório por lei.

Caso o fecho fique solto demais, ou apertado e difícil de tirar, também é um sinal de desajuste, o que aumenta a necessidade de uma manutenção constante para evitar este tipo de problema.

Importância da manutenção do cinto de segurança

O cinto de segurança é um dos principais dispositivos de um carro, visando ao conforto e bem-estar do motorista e dos passageiros.

Por isso, vamos elencar alguns dos aspectos que fazem com que a manutenção seja importante e, além disso, um bom negócio financeiramente:

  1. Segurança: acima de tudo, o cinto é um dispositivo para diminuir os riscos aos passageiros no trânsito, em casos de freadas mais bruscas e acidentes. Ou seja, considerando a vida e a saúde como maior bem do ser humano, fica clara a importância de uma ferramenta que funcione. Segundo estudos da Associação Brasileira de Medicina do Tráfego, a correta utilização diminui em 45% os riscos de morte do motorista.
  2. Cumprimento da lei: por se tratar de um fator obrigatório por lei, a não utilização, por conta de uma quebra, pode levar a advertências e multas. Não vale a pena arriscar a saúde, principalmente, mas também os custos extras no orçamento do mês, além de dor de cabeça burocrática.
  3. Menores custos: de forma geral, a manutenção sempre é a melhor opção financeira. Mesmo que não haja indícios de quebra, os custos para checar o funcionamento será menor do que, posteriormente, trocar peças em caso de quebra. E, para completar, a manutenção prevista no orçamento é mais bem organizada do que um custo extra que surja em caso de problemas.

Agora que você está mais atento sobre o cinto de segurança do seu carro, leia sobre as 3 dúvidas que todo motorista possui sobre freio ABS ou visite pessoalmente o Posto 214 Sul para a verificação de vários itens de segurança gratuitamente.

Escreva um comentário