Ter um automóvel com banco de couro, para muitas pessoas, é um sonho de consumo, por conta do conforto e beleza gerados por este material. Porém, assim como em qualquer outro tipo, é necessário muito cuidado com a manutenção. Entre as formas de realizar este processo, está a hidratação do couro.

Por isso, neste texto vamos falar sobre tudo que você precisa saber para realizar o procedimento de forma correta. Qual é o jeito de fazer, quais as vantagens, os cuidados necessários, etc.

Importância da hidratação do couro

Um erro comum na mente das pessoas é acreditar que o banco de couro, por conta da maior resistência, depende menos de uma manutenção de qualidade. É preciso, sim, muitos cuidados com ele. Para isso, entra a hidratação.

Para isso, é utilizado creme hidratante. O primeiro passo é escolher o local correto, especializado no processo, para que todos os produtos sejam os melhores do mercado, e manuseados por profissionais competentes. Vale destacar que, antes de realizar a hidratação, deve ser feita a limpeza do banco, removendo as sujeiras e manchas que estejam nele e criando a superfície propícia para que a hidratação seja 100% eficiente.

Ao hidratar o banco, é preciso que as quantidades de creme em cada parte sejam equilibradas. Depois de espalhar, deve-se esperar cerca de 40, 45 minutos, deixando o produto agir. Ao fim deste tempo, caso haja excessos em determinada parte do banco, é importante remover a quantidade extra.

Frequência da hidratação

Outra pergunta que certamente surgirá diz respeito ao intervalo de tempo entre uma hidratação e outra no banco de couro. Neste sentido, algumas variáveis serão importantes, como por exemplo a capacidade dos usuários do carro de conservar a limpeza, ou não, do material. Carros que recebem muitas crianças, ou que são local de alimentação, por exemplo, tendem a sujar mais rapidamente, fazendo a limpeza e a hidratação ocorrerem mais frequentemente.

Além disso, outra questão é a utilização de ar-condicionado, pois ele também influencia na conservação do banco. Se for o caso de um carro no qual o dispositivo é usado com grande frequência, a tendência é de um ressecamento mais rápido do couro. Por isso, é válido realizar a cada bimestre, em média. Se não houver uso do ar, dá para aguardar um pouco mais, entre 3 e 4 meses.

Outros detalhes importantes

Ainda podemos citar alguns detalhes que farão a diferença. Como já dissemos, é mais seguro recorrer a ajuda de especialistas em lavagem automotiva. Mas de qualquer forma, é importante que o usuário participe das escolhas. Por exemplo, do cheiro do produto que será usado para hidratar. Como o odor fica por alguns dias, o ideal é que seja agradável para quem vai utilizar o veículo. Se isso não ocorrer, o desconforto pode ser grande.

Outra questão que muitos fazem é sobre utilizar hidratantes comuns, como os que as pessoas usam no corpo. Desta forma, podem economizar, já que compram um produto multifunção. Mas não é o ideal. Cada composição tem suas características, e os óleos feitos para os bancos de couro são preparados especialmente para isso. Os hidratantes corporais têm outro objetivo e não vão gerar o mesmo efeito no carro.

Estes são alguns dos aspectos importantes da hidratação do couro em bancos de carro. Desde a limpeza, passando pela escolha do creme hidratante e pelos procedimentos necessários para hidratar, é importante saber bem como fazer, para não correr nenhum risco de estragar a superfície. Por isso, recomenda-se ajuda profissional.

Quer saber mais sobre este e outros temas relacionados aos cuidados com o veículo? Oferecemos uma série de conteúdos para vocês. Assista aos nossos vídeos, cadastre seu e-mail, acesse nosso aplicativo gratuito. Além disso, confira outros textos do blog e conheça nossos serviços exclusivos, como o Reflect Car, o Flying Lap e o Comb-Out.

Escreva um comentário